2 de março de 2013 | Convivendo com o Câncer, Na mídia, Notícias | câncer combate ao câncer dicas de saúde informações prevenção

Dia Mundial do Câncer

Instituído em 2005, o Dia Mundial do Câncer é celebrado todo dia 4 de fevereiro por diversos países.

Jornal Momento Atual, edição 1427, 02 e 03/03/13
Instituído em 2005, o Dia Mundial do Câncer é celebrado todo dia 4 de fevereiro por diversos países e, várias instituições de todo o mundo se unem pela mesma causa: o combate ao câncer. Criada pela União Internacional para o Controle do Câncer (UICC), a data foi criada para aumentar a conscientização sobre a doença, uma das principais causas de morte no Brasil e no mundo.

Nesta data, em todo o mundo, organizações empreendem ações com o objetivo de alertar sobre o câncer, discutindo não apenas as formas de prevenção e tratamento, mas também as implicações sociais, econômicas e políticas desta enfermidade que é responsável por grande parte das mortes no mundo. Uma organização de referência é a UICC – Union for International Cancer Control que realiza uma das maiores campanhas de combate ao câncer ao redor do globo. Com o slogan “Câncer – o que você sabe?” a UICC busca esclarecer os mitos sobre a doença.

O objetivo da campanha, do corrente ano, é derrubar mitos relacionados à doença. Abaixo relacionamos quais são os principais mitos:
– O câncer é apenas um problema de saúde. Na verdade, ele engloba também questões sociais, econômicas e de direitos humanos estando relacionadas ao desenvolvimento dos países. Aproximadamente 47% dos casos e 55% das mortes pela doença ocorrem nas regiões menos desenvolvidas do globo.
– O câncer é uma doença de pessoas de idade e de países ricos. A verdade é que a enfermidade afeta países ricos e pobres, além de pessoas de todas as idades. Alguns tipos de tumor, como o de colo de útero, por exemplo, causam mais mortes (85% das 275 mil registradas todo ano) nos países em desenvolvimento.
– O câncer é uma sentença de morte. A verdade é que muitos tipos de câncer – que já foram considerados dessa forma – hoje podem ser curados ou tratados de forma eficaz.
– O câncer é meu destino. A verdade é que, com estratégias adequadas, cerca de um terço dos tipos mais comuns de câncer pode ser prevenido.

Este ano, o Dia Mundial de Combate ao Câncer dedica-se à Meta 5 da Declaração Mundial contra o Câncer baseada na Declaração de Paris aprovada em 4 de fevereiro de 2000 que traçou as metas contra o câncer para o novo milênio, Segundo a União para o Controle Internacional do Câncer (UICC) e a Agência Internacional para Pesquisa sobre o Câncer (Iarc), 1,5 milhão de vidas anuais que seriam perdidas para o câncer poderiam ser salvas, se medidas decisivas fossem tomadas para alcançar a meta da Organização Mundial da Saúde (OMS) de “25 em 25″: reduzir em 25% as mortes prematuras devido a doenças não transmissíveis (DNT) até 2025. A cada ano, 4 milhões de pessoas morrem prematuramente de câncer em todo o mundo (faixa etária de 30 a 69 anos). Se não forem tomadas medidas urgentes para aumentar a conscientização sobre a doença e desenvolver estratégias práticas para lidar com o câncer, em 2025 essa tendência deve aumentar a alarmantes 6 milhões de mortes prematuras por ano devido ao câncer.
“A estimativa de 1,5 milhão de vidas perdidas por ano para o câncer que poderiam ser evitadas deve servir para fortalecer os nossos esforços na implementação da meta da Organização Mundial da Saúde (OMS) de “25 em 25″”, disse Christopher Wild, diretor do Iarc.

“Há, agora, a necessidade de um compromisso global para ajudar nos avanços na implementação política e encorajamento da aplicação abrangente dos Planos Nacionais de Controle do Câncer. Se quisermos obter sucesso nisso, temos uma responsabilidade coletiva de apoiar países de baixa e média renda que estão tratando de uma epidemia do câncer com recursos insuficientes”

Um milhão e meio de vidas perdidas por ano representam 25% dos cerca de 6 milhões de mortes prematuras atribuídas ao câncer que ocorrerão até 2025. Cada um fazendo sua parte, conseguiremos reduzir as mortes prematuras por câncer e outras doenças crônicas não transmissíveis em 25% até 2025. Câncer ainda é um problema de todos. Lute.
Carla Libralli Tostes dos Santos – É Supervisora Clinica do Instituto Oncológico de Ribeirão Preto (InORP) e
Mestre e Especialista em Enfermagem Oncológica.

Autor: Carla Libralli Tostes dos Santos


Compartilhe

Deixe seu comentário:

+ comentários